terça-feira, 14 de janeiro de 2014

FAROL DA NOSSA TERRA: Acácio Pinto apresentou "Essências" na Fundação Lapa do Lobo

Teresa Adão; Ana Maria Madureira; Carlos Torres; Acácio Pinto
«Depois de “Intimidades Traídas”, há um ano e meio anos atrás, Acácio Pinto, natural do concelho de Sátão, professor de Geografia, deputado da Assembleia da República, voltou ao auditório da Fundação Lapa do Lobo (FLL) na tarde de sábado, 11 de Janeiro, para apresentação do seu livro de poesia “Essências”, com prefácio de Francisco Assis e fotos de Margarida Martins.
A ocasião não podia ter sido mais feliz, dando-se a coincidência de à hora marcada para início da sessão de apresentação do livro ter acontecido o cantar dos reis à FLL por parte da Sociedade Filarmónica de Cabanas de Viriato, através da banda filarmónica e de elementos do grupo de danças e cantares e do grupo de cantares tradicionais.
Tendo o cantar dos reis decorrido na rua, frente à sede da FLL, perante os administradores Carlos da Cunha Torres e Maria do Carmo Batalha, e com a presença de convidados e público da apresentação do livro, só depois daquele carinho para com a FLL e os seus administradores todos se dirigiram ao auditório. Destaque para a comparência de importante representação autárquica, estando a Câmara Municipal de Nelas representada pelo presidente, José Borges da Silva, e pelo vice-presidente, Alexandre Borges, e o Município de Carregal do Sal pelo presidente da Câmara, Rogério Abrantes, pelo presidente da Assembleia, Jorge Gomes, e pela vereadora Cristina Borges.
Tomando lugar na mesa de honra, a par do autor do livro, de Ana Madureira, oradora convidada, e de Teresa Adão, da editora Edições Esgotadas, coube a Carlos Torres, administrador da FLL, a abertura da sessão, com uma intervenção de agradecimento pela apresentação do livro naquele espaço e de boas vindas aos presentes, saudando de modo especial a presença dos referidos autarcas.
Nesse período inicial, usou também da palavra Teresa Adão, agradecendo à FLL por ter voltado a abrir as portas “com muito carinho” a esta nova iniciativa da Edições Esgotadas e tendo considerado um privilégio a coincidência do cantar das janeiras com a apresentação do livro. “Deu para ver que a Fundação está ali a fazer um bom trabalho; se assim não fosse não teria um mimo como aquele” – comentou acerca do gesto da Filarmónica.
Ana Maria Madureira, licenciada em Filologia Românica, pela Universidade de Coimbra, especializada em Línguas e Literaturas Modernas, procedeu à apresentação do livro, começando por expressar “imenso prazer” e “redobrado entusiasmo” pela sua presença na FLL e pelo convite de Acácio Pinto para a apresentação deste seu primeiro livro de poesia. Na sua apreciação, referiu, entre outros aspectos, que a poesia de “Essências” é muito simbólica, indo ao encontro da psicologia da expressão humana e dos valores simbólicos. Considerou-a uma poesia ousada, com ritmo forte, personalidade, onde “cada poema vale pela sua execução” e pela preocupação de “criar o estado poético nos outros”.
“Muitos dos seus poemas são palavras pintadas”, sublinhou a oradora, ao considerar que “um texto também se constrói como um quadro”, acrescentando: “A partir do momento que comece a ser abordada pelos olhos, esta poesia alimenta a alma, faz ver o mundo de outra maneira; pode ser uma terapia”. Em opinião final, Ana Madureira realçou que “ler Essências é ir ao encontro de uma poesia plena”, frisando ainda que o livro “é para ler num só folgo, é uma obra que não fatiga, permite múltiplas leituras e múltiplas análises”.
Após os agradecimentos de circunstância, Acácio Pinto elogiou o tributo da Filarmónica de Cabanas de Viriato à FLL, e partilhou com o público algumas ideias sobre o livro. Foi evidente a emoção quando afirmou que esta obra era dedicada aos seus filhos, Ana Luísa e José Pedro. Na leitura de um texto previamente elaborado sobre este livro, a dado passo, disse que “a poesia pode ser vida, pode ser sonho”, assim como “pode ser de ontem, também pode ser de agora”, “dos tempos de ira e do amor”. Rematou: “Que seja o que quiserdes!”.
Por fim, seguiu-se um período de debate, em que o administrador da FLL fez questão de ler o seu poema preferido deste livro: «tenho que ir / não indo / para que saibas / onde estou / e também para dizer-te / que indo / eu fico / não vou / porém / ficando /é bom que percebas / que estou indo / embora não saindo / deste só / onde estou».
Estando ali o livro à venda, ficaram esgotados os últimos exemplares da primeira edição, indo agora a Edições Esgotadas proceder à publicação da segunda edição. Todos aqueles exemplares foram rubricados pelo autor, antes do Dão de Honra servido por habitual cortesia da Fundação Lapa do Lobo.»
Texto: Lino Dias, Farol da nossa terra
Fotos: Edições Esgotadas | Farol da nossa terra | Letras e conteúdos

Sem comentários:

Enviar um comentário