segunda-feira, 24 de março de 2014

Em comunicado, deputados do PS desafiam PSD a dar respostas aos viseenses

O "estado maior" do PSD vem a Viseu realizar as jornadas parlamentares com a notícia, dada ontem por Marques Mendes, de que a administração pública, reformados e pensionistas, vão ter ainda mais cortes nos seus rendimentos em 2014 e quase mais 2 mil milhões em 2015.
Vem a um distrito que marginalizou e continua a marginalizar. Onde vai encerrar o maior número de serviços, com especial destaque para os tribunais e repartições de finanças.
Vem a um distrito que, como já se percebeu, condenou a não ter a ligação Viseu-Coimbra, nem qualquer outra acessibilidade, nem centro oncológico, nem nenhum investimento. E quanto a comboio como prioridade apenas temos as habituais palavras.
As políticas sociais recuaram, porque as diferentes instituições foram, segundo a terminologia de Carlos Moedas "esmifradas". Podem "aumentar" os lugares, mas não há comparticipações, nem novos acordos. Uma vergonha que está a deixar muitas instituições à beira do colapso.
O desemprego aumentou em todo o distrito, que bate o triste recorde de ser aquele, segundo a Operação Sénior da GNR, onde mais idosos vivem em isolamento. As restrições na saúde, educação, cultura e ciência são inexplicáveis. A política de empobrecimento atinge-nos fortemente.
Para quem tudo prometeu e fez o seu contrário, para quem aumentou a dívida de 94 par 130% do PIB, seria bom que chegados a Viseu, os deputados do PSD e todo o seu “estado maior” explicassem aos viseenses este empobrecimento e abandono a que nos votaram!
Viseu, 23 de março de 2014
Os deputados do PS
José Junqueiro | Acácio Pinto | Elza Pais

Sem comentários:

Enviar um comentário