terça-feira, 13 de novembro de 2012

Vídeo com a intervenção na audição a Miguel Relvas no âmbito do OE 2013


Intervenção que efetuei hoje durante a audição do ministro adjunto e dos assuntos parlamentares, Miguel Relvas, a propósito do orçamento de estado para 2012 e depois de o ministro na sua intervenção inicial ter acusado o PS das leis que só a ele dizem respeito:
«Senhor ministro,
Quero falar-lhe sobre a extinção de freguesias. Sobre a lei 22/2012. E quero falar-lhe sobre este tema para lhe dizer que ele tem uma paternidade.
Há um pai e não é incógnito: é Miguel Relvas.
O senhor ministro tem todo o direito de mistificar a sua vida, a sua realidade (legalmente), mas a nossa vida, a nossa realidade, a das autarquias e a dos portugueses essa não tem o direito de vir para aqui mistificar.
O senhor ministro é o pater desta e de outras bizarrias legislativas da última década. Não é o PS.
Lembra-se da lei 10 e 11/2003, da criação daquelas áreas metropolitanas que iam da serra do Montemuro até à serra da Estrela?
Não foi o PS, foi Miguel Relvas.
E do silenciamento que está a fazer às populações, sobremaneira às do interior, através do silenciamento da LUSA?
Não é o PS é Miguel Relvas.
E já agora que palavras quer aqui deixar para as populações da região de Viseu, por exemplo, para os autarcas do distrito, sobre a falta generalizada de sinal de TDT com que as suas populações estão confrontadas?
Senhor ministro,
Nenhum de nós quer que a sua vida seja uma mentira. Exorto também o senhor ministro e os governantes a seguirem este princípio e portanto quando fizer qualquer declaração a acusar o PS e qualquer deputado do PS, desta bancada, sobre esta trituração das freguesias, arranje lá um documento, um papel que seja (só um) em que se possa sustentar, para a extinguir 1160 freguesias.
O PS sempre esteve disponível para dialogar, porém Miguel Relvas sempre esteve e está “estroicamente” indisponível.»

1 comentário:

  1. Dialogo com este PSD, ou pior com Sr Ministro Miguel Relvas é pura alucinação...
    E mais não digo, porque não quero ir a tribunal, já tenho medo de tudo, até da minha própria sombra.
    E o interior do País a sofrer. Voltámos ao Salazarismo... Bandidos...
    Será que ninguém põe mão nesta gente?
    Vasco Rodrigues.

    ResponderEliminar