quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Deputados do PS elaboraram projeto de resolução sobre PSA de Mangualde

Foto: RTP
Os deputado do PS eleitos por Viseu deram corpo a um projeto de resolução que visa chamar a atenção para a importância da manutenção e criação de postos de trabalho no centro de promoção de Mangualde da PSA-Peugeot/Citroen.
Eis o seu teor:
«Em Portugal, o setor automóvel está sujeito a grande concorrência internacional  e a grandes movimentos de deslocalização de empresas. Ao longo dos últimos anos foram muitas as que se perderam, desaparecendo milhares de postos de trabalho.
Podem destacar-se, entre outros exemplos, a Renault de Setúbal, a Opel da Azambuja (1100 colaboradores), a Johnson Control de Nelas (900), a Yazaky de Ovar (mais de 500) e Delphi da Guarda e Castelo Branco (mais de 1000).
A PSA de Mangualde tem ao longo dos seus 52 anos de história demonstrado uma resistência que merece ser realçada e tem-se afirmado como um dos grandes ativos industriais do país  e um precioso baluarte no combate à desertificação do interior. Para além de apoios do Estado tem investido capitais próprios, mais de 30M€ só nos últimos anos.
Atendendo  à sua enorme  importância nacional, nomeadamente pelo elevado nível de exportações que a têm colocado no top 10 das maiores exportadoras nacionais;
E considerando a sua condição de pilar estruturante na economia regional resultante dos elevados  níveis  de emprego, direto e indireto, entendemos por bem, neste contexto, apresentar o seguinte projeto de resolução:
A Assembleia da República, reunida em plenário, delibera recomendar ao governo  o seguinte:
1. Que acompanhe os projetos de modernização  da empresa  no sentido  de esta se preparar para continuar a receber novos veículos no futuro, em defesa dos postos de trabalho, do direito ao emprego tecnológico no interior  e da atividade industrial da PSA – Peugeot Citroen em Mangualde.
2. E que  no âmbito do novo quadro comunitário de apoios ao investimento ajude a criar melhores condições de competitividade para que esta possa continuar a resistir à forte concorrência internacional e a garantir a sua sustentabilidade.»

Sem comentários:

Enviar um comentário