terça-feira, 2 de outubro de 2012

Deputados do PS Viseu contra universalização do pagamento de portagens nas A24 e A25


Os deputados do PS, eleitos pelo círculo de Viseu, Acácio Pinto, José Junqueiro e Elza Pais, dirigiram hoje, dia 2 de outubro, a seguinte pergunta ao governo:
«O secretário de estado das obras públicas, transportes e comunicações, Sérgio Monteiro, natural do concelho de Mangualde, distrito de Viseu, veio anunciar a universalização do pagamento de portagens para todos quantos circulem nas autoestradas (ex-scut), no caso do distrito de Viseu, nas A 24 e A 25. Acrescente-se, a título meramente informativo, que o ministro desta tutela, Álvaro Santos Pereira e o secretário de estado adjunto, Almeida Henriques, este também presidente da assembleia municipal de Viseu, tiveram, igualmente, a região de Viseu por berço.
Esta é a demonstração, inequívoca, de que a saga do PSD pelo princípio do utilizador pagador não foi nunca esquecida e na primeira oportunidade foi implementada, não se contentando com as isenções e com os descontos existentes. Estamos, pois, perante mais um ataque ao interior de Portugal, um ataque aos cidadãos e às empresas que teimam em continuar a residir e a sediar-se nestas regiões, onde já por si a vida é mais dura, mas nem por isso menos aliciante, assim tivéssemos governantes que entendessem que o território vale muito mais quando é desenvolvido no seu todo.
O PS sempre se opôs às portagens destas vias enquanto não existissem alternativas ou o desenvolvimento económico não fosse equivalente ao todo nacional. O PS só cedeu, e ainda assim com isenções e descontos para os residentes, perante as exigências do PSD, uma vez que estava em situação minoritária no parlamento.
Face, portanto, a tudo quanto antecede os deputados do PS signatários não podem deixar de questionar o governo perante este desrespeito para com aqueles que até 30 de setembro tinham isenções e descontos e que a partir de 1 de outubro passam a pagar, na totalidade, todas as passagens que efetuarem nas A 24 e A 25 e, afinal, para com o desrespeito para com a região de Viseu e do interior de Portugal.
E, assim sendo, nos termos constitucionais e regimentais, os deputados do PS vêm, através de vossa excelência, questionar o ministro da economia e do emprego, sobre o seguinte:
1. Está o governo disponível para rever esta medida altamente lesiva para os cidadãos e para as empresas do distrito de Viseu e para a economia portuguesa?»

Sem comentários:

Enviar um comentário