quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Moções do PS aprovadas pela assembleia intermunicipal: oposição ao encerramento de serviços e acessibilidades

Notícia do Diário de Viseu de hoje, 2013.12.18.

ESTRATÉGIA MULTIMODAL
A Região Centro, nomeadamente a nossa Comunidade Viseu Dão Lafões, necessita para o incremento da sua competitividade e desenvolvimento económico de uma estratégia de acessibilidades multimodal.
Fala-se, concretamente, de uma articulação inteligente entre os corredores rodoferroviários. Entende-se pelos primeiros, a ligação Viseu/Coimbra em autoestrada, bem como a conclusão do atual IC12.
O trânsito internacional vindo da fronteira de Vilar formoso pode procurar o litoral e os seu portos de maior vantagem logística (Aveiro-Leixões), bem como a plataforma logística de Lisboa. Compreende-se, assim, que estes dois corredores são complementares e indissociáveis para o pleno alcance dos objetivos enunciados.
Quanto à ferrovia é do senso comum que a ligação entre Viseu e a linha da Beira Alta, com a valorização desta, e a ligação entre Aveiro/Viseu/Guarda/Salamanca, constituem uma alternativa e articulação logística com a rodovia. É importante realçar que na linha da Beira Alta, o investimento a realizar deve traduzir-se, na prática, num aumento da segurança e velocidade e da consequente diminuição do tempo de percurso
É neste contexto, considerando os trabalhos já realizados e aqueles que estão em estudo ou projeto, e ainda o facto destes investimentos poderem transmitir ao País, nomeadamente ao seu interior, novas oportunidades e erradicação de constrangimentos, que a Assembleia Intermunicipal da Comunidade Viseu Dão Lafões vem exigir ao Governo decisões rápidas e um calendário realista para a concretização prática destes impulsos ao crescimento económico, ao desenvolvimento sustentado e ao emprego.
Castro Daire, 2013/12/16

OPOSIÇÃO AO ENCERRAMENTO DE TRIBUNAIS E DE REPARTIÇÕES DE FINANÇAS
O interior do nosso país e, de forma particular, a nossa região, têm sido violentamente atingidos por um vasto conjunto de iniciativas, do Governo, fortemente penalizadoras para a coesão territorial e para o tecido económico e social, com reflexos graves na qualidade de vida das populações.
Como se já não bastassem esses ataques nas mais diversas áreas, surge agora no horizonte imediato o encerramento de serviços públicos com destaque para os tribunais e para as repartições de finanças, serviços do estado central com um papel relevantíssimo na qualificação dos territórios.
Com o encerramento destes serviços é o próprio estado que se encerra em vários concelhos com a agravante de as populações terem que se deslocar para outros municípios sem se conhecer nenhuma racionalidade na decisão e sem que exista qualquer rede de transportes inter concelhia.
Para além de tudo isto impõe-se denunciar o facto de não existir qualquer interação estruturada do governo com os municípios e com as populações sobre esta reforma que está em marcha.
Neste contexto a assembleia intermunicipal Viseu Dão Lafões reunida no dia 16 de dezembro em Castro Daire delibera:
1. Manifestar junto do Governo, da Assembleia da República e do Presidente da República, a sua oposição ao encerramento de tribunais e de repartições de finanças no território integrante da CIM Viseu Dão Lafões, pelos reflexos negativos que essas decisões têm na coesão e competitividade do território;
2. Corroborar as diligências que todos os autarcas dos municípios da CIM Viseu Dão Lafões efetuaram ou venham a efetuar, junto dos poderes instituídos, no sentido da contestação do encerramento destes serviços, tribunais e finanças.
Castro Daire, 2013-12-16

Sem comentários:

Enviar um comentário