quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Grande jornada de António Costa no distrito de Viseu

Grande jornada de António Costa no distrito de Viseu:
i) Grande arruada pela rua Direita em Viseu seguida de almoço com militantes e simpatizantes.
ii) Visita a C.Sal (Euroralex)
iii) Visita a S.C.Dão (praça do município, heliporto...).
iv) Grande comício no pavilhão do Inatel em Viseu.

Coligação não percebe diferença entre cortar e poupar
“Têm uma tal obsessão de cortarem tudo aos portugueses que não percebem que há uma diferença entre cortar e poupar” afirmou hoje António Costa num almoço-comício em Viseu. “Cortar é tirar o que cada um recebe e tem direito a receber, poupar é deixar de gastar porque deixou de ser necessária essa despesa”.
O líder dos socialistas esclareceu assim a tentativa da coligação de confundir os portugueses. “Está a receber salário e vai receber subsídio? Não é cortar, é poupar através de uma política correta que visou a criação de emprego, permitiu a criação de emprego e a pessoa ter um rendimento com base no salário e não com base no subsídio”, reforçou.
Ao contrário da direita, o PS não confunde “o que é poupar recursos com o que é cortar prestações. Cortar prestações foi o que eles fizeram: fizeram-no aos 70 mil idosos que beneficiavam de complemento solidário para idosos e que eles cortaram tirando-lhes uma prestação que era absolutamente essencial para poderem viver com dignidade”.
Costa notou ainda a tentativa da direita de confundir os portugueses com “truques”: “Ai eles querem poupar 250 milhões de euros num conjunto de prestações de natureza não contributiva, então vou multiplicar por quatro e dizer que vão cortar mil milhões de euros de prestações.” No mesmo raciocínio, salientou o Secretário-Geral do PS, face ao corte de 600 milhões nas pensões em pagamento poderíamos “dizer que querem cortar 2.400 milhões de euros”.

António Costa reiterou o compromisso de não fazer qualquer corte nas pensões, como a direita pretende. “Já dissemos e repetimos que não haverá qualquer corte de pensões. Nem das pensões de hoje, nem das pensões de amanhã”, sublinhou o candidato a primeiro-ministro.
(www.costa2015.pt)

Sem comentários:

Enviar um comentário