quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Carta de António Costa aos portugueses

Caras e Caros Amigos,
Votar é escolher.
No próximo dia 4 de outubro vamos fazer uma opção determinante para o nosso futuro.
Acreditamos nos portugueses. Não nos resignamos, sabemos que é possível fazer diferente e fazer melhor.
Mas para isso precisamos de um governo que saiba fazer diferente e fazer melhor. Só o PS preparou esse caminho, uma alternativa de confiança, estudada, prudente, realista, mas que aposta nos portugueses.
A coligação de direita não cumpriu as suas promessas nem atingiu os seus objetivos. Para que serviram os sacrifícios dos portugueses? Mais impostos, menos economia, menos emprego e emprego mais precário, mais pobreza, cortes nas pensões e nos salários – e mesmo assim aumentou a dívida e o défice continua descontrolado.

A estratégia da direita foi a de empobrecer os portugueses como via para resolver os problemas do país, mas essa estratégia falhou.
Portugal precisa de finanças públicas sãs e de crescimento económico, mas nenhum país se desenvolve sustentavelmente empobrecendo. A direita escondeu os problemas, mas não os resolveu. Por isso, mais 4 anos de governo da direita trarão o regresso das mesmas políticas. Foi isso, aliás, que já prometeram em Bruxelas e ocultam aos portugueses.
Escolhemos outro caminho: valorizar os nossos recursos. O conhecimento e a inovação serão a chave do desenvolvimento. Dar às pessoas condições para realizarem em Portugal os seus projetos de vida. Dar às empresas condições para criarem mais emprego, estável e de qualidade. O trabalho das pessoas e a iniciativa das empresas é que geram a riqueza para termos finanças públicas sãs.
Cortar não é poupar. Acreditamos que melhor Estado também é necessário a um desenvolvimento do país que beneficie todos os portugueses. Depois de ter privatizado sectores estratégicos da economia, a direita prepara-se para privatizar serviços públicos essenciais. Nós, pelo contrário, acreditamos na importância da segurança social pública, do Serviço Nacional de Saúde e da escola pública. Estes e outros serviços públicos não só têm de ser preservados, mas melhorados com base em ganhos de eficiência. Já provei no passado, como ministro responsável pelo programa Simplex, que é possível prestar melhor serviço com menos recursos.
Os portugueses sabem, pelo meu passado em funções públicas, que cumpro os compromissos que assumo. Fui eleito em Lisboa sempre com mais votos a cada eleição, porque, no momento de governar, fiz sempre mais do que tinha prometido. Preciso do seu voto para fazer o mesmo no governo de Portugal.

Um abraço muito afetuoso do


António Costa

Sem comentários:

Enviar um comentário