quarta-feira, 15 de julho de 2015

António Costa: "É altura do primeiro-ministro perceber: está esgotado"

António Costa acusa Passos Coelho de enganar os portugueses. O líder do PS considera que "a política deste Governo falhou" e que o primeiro-ministro "está esgotado."
António Costa acusa Passos Coelho de enganar os portugueses. "O engano é uma espécie de vício". Primeiro prometeu que não cortava salários nem pensões, e depois fê-lo, "agora é o engano do emprego. Um Governo que destruiu 320 mil postos de trabalho pretende" que o "sucesso da sua política seja o aumento do emprego… revela bem a distância que está da realidade", afirma António Costa na reacção à entrevista que Passos Coelho deu na terça-feira, 15 de Julho, à SIC.
"A política deste Governo falhou", sublinhou o líder do PS. "Este primeiro-ministro não só não se consegue desembrulhar, como não admite os erros da sua governação e não oferece nada para o futuro."
Quanto a uma potencial coligação entre o PS e o PSD, António Costa rejeita em cenário, considerando que "as pessoas vivem com terror" só de pensar na "possibilidade de manterem este primeiro-ministro. O que as pessoas anseiam é uma alternativa de confiança."
António Costa salientou que "a boa solução [para o país] é uma maioria absoluta do PS, mas só teremos essa maioria se os portugueses quiserem." Mas, "há uma coisa que tenho a certeza que não querem" e que "até têm pesadelos de pensarem" que é possível manter Passos Coelho no Executivo e que o PS podia ajudar o primeiro-ministro a continuar.
"É altura do primeiro-ministro perceber: está esgotado, enredado nas mentiras do passado, não é capaz de dizer nada para o futuro."

Nós antes de assumirmos compromissos quisemos fazer as contas quando nos comprometemos … não estamos a fazer promessas. Estamos a assumir compromissos.
(jornal de negócios)

Sem comentários:

Enviar um comentário