segunda-feira, 29 de junho de 2015

Assembleia da República instituiu o dia nacional da gastronomia portuguesa

Foto tirada na AR no final da votação, 26 de junho
«A Assembleia da República instituiu como Dia Nacional da Gastronomia Portuguesa o último domingo de maio.
Esta foi a deliberação aprovada por unanimidade na passada sexta-feira, dia 26 de junho, em plenário, tendo tido por base as iniciativas do PS e da maioria que foram fundidas numa só proposta.

O Partido Socialista acolheu com entusiasmo a sugestão da instituição de um dia que valorizasse a nossa Gastronomia na senda daquilo que a Federação das Confrarias Gastronómicas de Portugal defendia. Aliás, isso mesmo foi enfatizado ao grupo parlamentar do PS por uma delegação da respetiva federação liderada pela sua presidente, Olga Cavaleiro, numa reunião com o grupo parlamentar do PS, que se fez representar pela vice-presidente do GPPS Hortense Martins e pelo deputado Acácio Pinto. Nessa sequência foi elaborado o respetivo projeto, subscrito por deputados de todo o país e que veio a culminar no texto conjunto agora aprovado por unanimidade.
A gastronomia portuguesa representa a história e a alma do povo português, que ao longo dos tempos “produziu saberes e sabores” recorrendo aos produtos da terra, de forma genuína e identitária.
As nossas regiões e sub-regiões têm associados um vasto conjunto de “produtos agroalimentares típicos”, reconhecidos internacionalmente, de qualidade superior, com “designações uniformizadas na União Europeia, como é do caso de produtos DOP (Denominação de Origem Protegida) e IGP (Indicação Geográfica Protegida) ”.
A “gastronomia nacional resulta de uma multiplicidade de fatores geográficos, sociais, económicos e culturais”, assumindo-se como uma “ferramenta essencial para promover o crescimento e o emprego em indústrias como a restauração, o turismo, a indústria agroalimentar e a investigação”.
“A gastronomia portuguesa é considerada um produto estratégico em termos turísticos integrados no PENT (PIano Estratégico Nacional de Turismo), registando-se um crescimento contínuo de turistas internacionais que se deslocam ao nosso país, motivados exclusivamente pela excelência da gastronomia nacional”.

É por isso com especial agrado que vemos que esta iniciativa foi aprovada por unanimidade, conscientes do elevado potencial desta riqueza nacional e da necessidade da sua valorização e da sua preservação “através de políticas públicas adequadas”, envolvendo a sociedade portuguesa com particular destaque para a comunidade educativa e para todos os agentes do setor e projetando o turismo, as exportações e a criação emprego.»
(Nota de imprensa do GPPS)

Sem comentários:

Enviar um comentário