domingo, 22 de março de 2015

António Costa defende grande reforma para a floresta portuguesa


O líder do PS, António Costa, defendeu no dia 21 de março, dia da árvore, em Terras de Bouro, no Gerês, a necessidade de uma "grande reforma" na floresta, para colocar esta "fonte de riqueza" ao serviço do crescimento do país.
Lembrando que um terço do território nacional é floresta, Costa defendeu que "isso não é um problema, mas sim uma riqueza para o país".
"Não podemos perder mais tempo", disse, sublinhando a importância de ter aquele terço do país a contribuir para o crescimento nacional.
"Na estratégia de valorização do nosso território, temos de dar uma prioridade nova à floresta", apelou.
António Costa falava após ter procedido à plantação de um carvalho, num gesto simbólico com o qual quis sensibilizar para a importância das árvores e das florestas e para a "necessidade que o país tem de voltar a plantar para voltar a crescer".
O líder socialista aludiu à "grande reforma" feita há 10 anos na área do combate aos incêndios florestais e pediu que se avance de imediato com uma reforma idêntica em relação à floresta.
"Com essa reforma de há 10 anos, ganhámos tempo, mas esse tempo, infelizmente, tem sido pouco aproveitado para fazer a reestruturação e o reordenamento da floresta e o trabalho essencial na prevenção", criticou.
Afirmou que a floresta "não se protege no combate aos incêndios" mas sim com o seu ordenamento, o seu cadastro, a sua valorização, o apoio às populações e a prevenção do risco de incêndios.

Sem comentários:

Enviar um comentário