terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Mais de 30.000 utentes sem médico de família no ACES Dão Lafões

Os deputados do PS eleitos por Viseu, José Junqueiro, Acácio Pinto e Elza Pais, questionaram o ministro da saúde sobre o facto de existirem mais de 30.000 utentes sem médico de família na área territorial do ACES Dão Lafões.
Eis a questão:
«O número de utentes sem médico de família no ACES Dão Lafões é elevadíssimo, superior a trinta mil utentes, sendo que cerca de metade destes são do concelho de Viseu (valores estimados), pois são muitos os médicos em falta nos quadros dos centros de saúde da região.
As principais consequências que este facto tem originado são as dificuldades na acessibilidade às consultas médicas por parte desses utentes, assumindo particular gravidade quando se trata de utentes com doença aguda, ou com doenças crónicas, incluindo grupos de risco como, diabéticos, hipertensos e grupos vulneráveis como grávidas e crianças.
Esta falta de médicos tem sido minimizada pelos restantes médicos que vão dando algumas respostas aos grupos de risco e aos mais vulneráveis, mas isto para além das dificuldades acrescidas para utentes e médicos, pelo facto de não haver um conhecimento recíproco, também desestabiliza muito o serviço aos vários níveis, pois é necessário estar constantemente a alterar datas de consultas.
Igualmente existe uma notória falta de enfermeiros em todo o ACES o que, igualmente, acarreta graves prejuízos no serviço que diariamente é prestado.
Ora esta situação muito grave exige uma resposta rápida, que reponha os níveis de médicos de família adequados às necessidades, na região do ACES Dão Lafões, pois ela a continuar assim é incompatível com um serviço nacional de saúde qualificado e acrescenta problemas às respostas prestadas nos cuidados hospitalares.
Face ao que precede os deputados do PS eleitos por Viseu, vêm através de vossa excelência questionar o ministro da saúde nos seguintes termos:
1. Quantos utentes, exatamente, estão sem médica de família, por concelho, no ACES Dão Lafões?
2. Dos concursos que estão a decorrer quantos médicos irão ser afetados a cada um dos concelhos do ACES Dão Lafões para fazer face a esses utentes sem médico de família?
3. E a nível de enfermeiros, qual a estratégia para suprir as necessidades existentes?
Palácio de são Bento, 17 de fevereiro de 2015
José Junqueiro, Acácio Pinto, Elza Pais»

Sem comentários:

Enviar um comentário