quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

[opinião] Mário Soares: militante da liberdade, da democracia e da dignidade!

A personalidade política portuguesa mais incontornável e relevante da segunda metade do século XX e início do século XXI foi e é, sem qualquer dúvida, Mário Soares, ele que acabou de comemorar os seus 90 anos de vida.
E há homens assim, poucos, mas há-os, aqueles em que a política fervilha no sangue, faz parte do seu ADN, mas para através da política lutarem pela liberdade, pela democracia e pela dignidade das pessoas.
Ele esteve nas candidaturas presidenciais de Norton de Matos e de Humberto Delgado, esteve ao lado das lutas estudantis, foi membro fundador da Ação Socialista Portuguesa e do Partido Socialista.
Apesar de perseguido e preso várias vezes pela PIDE, Mário Soares nunca esmoreceu e sempre encontrou o ânimo necessário para combater um regime totalitário e persecutório.
Até que a revolução de abril o projetou para o centro da vida política nacional. Para o cerne da construção do nosso atual regime.
Como líder partidário, como ministro, como primeiro-ministro ou como presidente da república, Mário Soares nunca transigiu para com a sua consciência e sempre deixou bem vincadas as suas posições e assumiu as suas convicções.
Quer na luta contra a unicidade, quer na luta contra a hegemonia política que o PCP tentou em Portugal no pós-25 de abril, quer na adesão à união europeia, quer na defesa genuína e destemida de Portugal e dos portugueses e dentre estes dos mais desfavorecidos, Mário Soares esteve presente, continua sempre presente.
Goste-se ou não, Mário Soares é assim. É um homem que não cala a sua consciência quando estão em causa os valores que para ele são os valores maiores pelos quais se deve pautar a política.
Mas será que Mário Soares tomou sempre as melhores opções políticas nas inúmeras decisões concretas que foi chamado a tomar?
Com certeza que não. Cada um encontrará sempre decisões nas quais não se revê. Decisões que não terão sido as melhores. Contudo, isto em nada afeta a sua dimensão política e de estadista de um homem ímpar aquém e além-fronteiras.
É que Mário Soares no decurso da sua longa vida política nunca perdeu o norte, fossem quais fossem os ventos ideológicos que soprassem. Mário Soares sempre soube que só há um trilho em que a política faz toda a diferença: ser militante da liberdade, da democracia e da dignidade das pessoas.
E Mário Soares nunca tergiversou quando estes valores estiveram ou estão em causa.
Parabéns, Mário Soares!
Acácio Pinto
Diário de Viseu

Sem comentários:

Enviar um comentário