domingo, 2 de novembro de 2014

Feira dos Santos de Mangualde: Da tradição à modernidade

Os deputados do PS, Acácio Pinto, José Junqueiro e Elza Pais, estiveram, a convite do presidente da câmara de Mangualde, João Azevedo, na Feira dos Santos, este ano marcada pelo lema "da tradição à modernidade", lema que foi devidamente enquadrado com uma lição de sapiência proferida pelo professor António Tavares, um investigador da história e arqueologia, que a todos proporcionou uma viagem pelos tempos mais remotos, mesmo ainda antes da existência da feira, mas sobretudo deixou aos presentes uma detalhada evolução, "da tradição à modernidade", da Feira dos Santos.
A sessão de abertura da Feira dos Santos teve lugar no dia 31 de outubro no salão nobre da câmara. E que melhor do que a música, pela orquestra "poema" de Mangualde, para arranque da feira 2014, ante um salão nobre completamente repleto? Duas magníficas interpretações que deixaram a plateia rendida às cordas da orquestra.
Seguiu-se a lição de António Tavares e depois vieram as intervenções de cariz político que estiveram por conta do presidente do turismo do centro, Pedro Machado, de quem se espera a promoção do evento, do presidente da câmara de Mangualde, João Azevedo, que disse estar a cumprir a missão de levar cada vez mais longe a feira, e do secretário de estado das comunidades, José Cesário, que em discurso emotivo teceu grandes elogios ao presidente da câmara e à Feira dos Santos.
No final da sessão, que teve o cunho organizacional da vereadora Maria José Coelho, seguiu-se uma visita aos stands das juntas de freguesia, dos produtores de vinho e das demais instituições que quiseram marcar presença nesta edição da feira.
Presentes para além dos autarcas do concelho - vice-presidente, vereadores, presidente da assembleia municipal, deputados municipais e autarcas das freguesias - também muitos autarcas dos municípios da região e ainda o presidente da assembleia municipal de Resende. Igualmente se associaram as autoridades militares, civis e religiosas e representantes dos serviços descentralizados do estado.
Mas como a Feira dos Santos, este ano a 1 e 2 de novembro, é sobretudo o bulício nas barracas, o regatear de preço e as febras na brasa lá estive no dia 1 de novembro com o João Azevedo, o Marco Almeida, a Elza Pais e o Paulo Simões para uma visita à feira e para a degustação das febras e dos pastéis de feijão.

Sem comentários:

Enviar um comentário