terça-feira, 1 de julho de 2014

Sophia de Mello Breyner: Esta gente

Deixo-vos hoje as duas últimas estrofes do poema "esta gente", de Sophia de Mello Breyner Andresen, que li, durante a minha intervenção, na sessão de apresentação das linhas programáticas de António Costa, que decorreu no dia 29 de junho no complexo paroquial de Mangualde.
Sophia, cujo corpo será trasladado para o panteão nacional no dia 2 de julho.

(...)
E em frente desta gente
Ignorada e pisada
Como a pedra do chão
E mais do que a pedra
Humilhada e calcada

Meu canto se renova
E recomeço a busca
De um país liberto
De uma vida limpa
E de um tempo justo.

in: Geografia.
(foto: rr.sapo.pt)

Sem comentários:

Enviar um comentário