segunda-feira, 2 de junho de 2014

Nada contra o congresso! Nada contra as primárias! Temos é que ser céleres na resolução!

Dois dos aspetos, politicamente, mais relevantes da comissão nacional do PS, realizada no Vimeiro, no dia 31 de maio, foram:
i) Não foi aceite a introdução do aditamento à ordem de trabalhos de um ponto que visava a convocação de um congresso extraordinário.
ii) Foi proposta pelo secretário geral a realização de primárias, abertas a simpatizantes, para a escolha do candidato do PS a primeiro ministro.
Considerações:
Nada contra as primárias, que já haviam sido propostas em 2011 por Francisco Assis, bem como no último congresso, e que, então, não vingaram.
Venham, pois, as primárias quanto antes e, já agora, venha também um congresso e as diretas, pois só estes clarificam as lideranças e as linhas políticas dos partidos.
Reitero o que escrevi antes da comissão nacional: o único fórum capaz de clarificar, inequivocamente, esta situação é o congresso, dar a palavra aos militantes, devolver a palavra às bases.
O PS é um grande partido que nos momentos difíceis sabe sempre ultrapassar, com elevação e com nobreza, os seus problemas internos. Tenhamos, todos, isto em consideração antes de dizermos seja o que for relativamente a camaradas nossos pois todos somos socialistas com liberdade, absoluta, de opção.
No day after todos temos que estar unidos em torno daquele que for o secretário geral e candidato a primeiro ministro para devolvermos a esperança a Portugal e aos portugueses.
É que a irresponsabilidade política não está dentro do PS! Está, isso sim, neste governo de direita que mais não tem feito, nestes últimos três anos, do que aplicar doses de austeridade absoluta sem qualquer atenção para com as pessoas, para com as empresas, afinal, para com o estado social.
Tenho orgulho no presente e no passado do PS!
Viva o PS.

Sem comentários:

Enviar um comentário