quarta-feira, 5 de março de 2014

Deputados do PS pedem esclarecimentos ao governo sobre ligação Viseu-Coimbra

(LUSA - 05.03.2014) - Deputados do PS pediram esclarecimentos ao Governo sobre a construção de uma nova ligação entre Viseu e Coimbra, prevista no estudo do grupo de trabalho para as Infraestruturas de Elevado Valor Acrescentado (IEVA).
José Junqueiro, Elza Pais e Acácio Pinto, eleitos pelo círculo de Viseu, querem que o ministro da Economia responda se o Governo considera que esta é uma obra importante e, em caso afirmativo, qual o calendário previsto para o seu lançamento e execução.
“Há algum tipo de apoio comunitário e, em caso afirmativo, em que percentagem? A solução encontrada terá, como pensamos inelutável, portagens ou, como diz a maioria, será gratuita?”, questionam.
Os deputados socialistas referem que o estudo “feito por um grupo de trabalho escolhido pelo Governo parece iludir toda a gente: cidadãos, deputados e autarcas de todos os partidos, incluindo os que são a base de apoio do Governo”.
“Até há poucos dias, deputados, autarcas e responsáveis do PSD, da região e concelhos adjacentes ao atual IP3, com especial ênfase para os presidentes de Câmara de Viseu e Tondela, afirmavam que a obra, ‘em perfil de autoestrada’, seria apoiada por fundos comunitários (80%) e que não seria portajada”, referem.
No entanto, numa entrevista a um semanário, o secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, disse que essa obra era prioritária, “mas que estava fora dos ‘30 mais’ e que não teria financiamento comunitário”, acrescentam.
José Junqueiro, Elza Pais e Acácio Pinto dizem ainda que, na entrevista, Sérgio Monteiro considerou como única solução possível uma via com portagens, porque se houver “um IP3 requalificado e ao lado uma autoestrada, ninguém vai pela autoestrada e, portanto, não haverá privados que a queiram fazer".
Na opinião dos deputados socialistas, “estas afirmações demonstram que os partidos da atual maioria e os seus autarcas não se entendem com o Governo ou, então, alguém tem informação deficiente”.
Lembram que o estudo apenas confirmou o que já se sabia, porque o atual IP3 “tem uma média de 15.000 veículos por dia e é uma via onde já morreram mais de 120 pessoas e ficaram destroçadas centenas de famílias”.
AMF // SSS

Sem comentários:

Enviar um comentário