quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Resposta ao comunicado do PSD de Sátão sobre o tribunal de Sátão

Foto de junho de 2012 | ministra PSD tinha proposto extinção do tribunal
O comunicado do PSD de Sátão, sobre o tribunal, não conta a história toda. Falseia, portanto, a realidade.
E passo a explicar:
1º Quem aprovou a lei de extinção de tribunais publicada em 26 de agosto de 2013 foi o PSD e o CDS, não foi o partido socialista, que votou contra;
2º Quem aprovou, no dia 6 de fevereiro de 2014, a extinção de 47 tribunais (20 extintos e 27 deixados em ‘coma’) foi o governo do PSD e do CDS, não foi o nenhum governo do PS;
3º - Quem colocou o tribunal de Sátão na lista dos tribunais a extinguir não foi o PS, foi o governo do PSD e do CDS, através de um documento estratégico para a reforma da organização judiciária;
4º Quem defendeu o tribunal de Sátão e todos os tribunais do distrito de Viseu foram os deputados do PS, que questionaram o governo e reuniram em todos concelhos afetados, inclusivamente no Sátão, com muitas pessoas (advogados, autarcas, comerciantes…);
5º Quem esteve no terreiro do Paço, no dia 28 de junho de 2012, na manifestação nacional em defesa dos tribunais foram os deputados do PS, entre os quais eu me incluo, e não os deputados do PSD;
Portanto
Vir agora dizer que o PSD conseguiu manter aquilo que nós, satenses, sempre tivemos e que nunca ninguém nos quis tirar a não ser o próprio PSD só pode ser uma patetice de gente com consciência pesada nesta matéria.
Mas vir dizer que o dia 6 de fevereiro é um dia histórico só pode ser anedota pois o que tínhamos era o tribunal da comarca de Sátão e o que passaremos a ter é a secção de competência genérica de Sátão, pois a comarca vai para Viseu.
Se isto é histórico estamos conversados sobre o nível de entendimento de alguns políticos do nosso concelho!
Sátão, 19 de fevereiro de 2014
Acácio Pinto
Deputado do PS

Sem comentários:

Enviar um comentário