terça-feira, 12 de novembro de 2013

Moimenta da Beira: Inauguradas novas caves do espumante Terras do Demo

O povo era tanto que a visita inaugural às novas Caves do espumante Terras do Demo teve de ser feita em grupos de 30/40 pessoas, uns a seguir aos outros. Tudo para evitar atropelos, empurrões ou outros males maiores.
A obra, inaugurada este domingo, 10 de Novembro, em Moimenta da Beira, custou cerca de meio milhão de euros e tem capacidade para acolher 700 mil garrafas de espumante.
João Silva, presidente da direcção da Cooperativa Agrícola do Távora e principal impulsionador do investimento, rodeado e acarinhado pela multidão presente, emocionou-se no discurso improvisado da cerimónia de inauguração que juntou deputados, presidentes de câmara, dirigentes de instituições da administração central, regional e local, presidentes de organizações privadas, empresários e comerciantes também, associados de várias cooperativas agrícolas da região e povo, muito povo anónimo que se juntou à inauguração.
“Hoje é um dia festa, merece ser um dia de festa”, disse o presidente da Câmara Municipal de Moimenta da Beira, José Eduardo Ferreira, que elogiou o trabalho do dirigente da cooperativa e o empenho, “sempre esforçado”, do director regional de Agricultura e Pescas do Norte, Manuel Cardoso, a quem chamou de “amigo de Moimenta da Beira”.
As novas caves têm mil metros quadrados de área e ficam a mais de quatro metros de profundidade. Têm capacidade para 700 mil garrafas em estágio a uma temperatura média de 14/15 graus centígrados. As paredes são de blocos de granito rústico, amarelado, de muitas toneladas de peso, que lhe dão imponência e grandiosidade.
Em paralelo, e à superfície, está a nascer um edifício de apoio às caves que inclui sala de negócios, sala de provas e um espaço para restauração com área suficiente para receber mais de duas centenas de pessoas.
Os deputados do PS, José Junqueiro e Acácio Pinto, estiveram presentes neste evento.
(texto: Rui Bondoso)

Sem comentários:

Enviar um comentário