quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Deputados do PS questionaram governo: Quais as repartições e serviços de finanças que irão encerrar no distrito de Viseu?

Fomos confrontados, através de declarações do Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais e do presidente do Sindicato dos Trabalhadores de Impostos (em anexo), para a iminência do encerramento de um elevado número de repartições de finanças em todo o país.

A confirmar-se, este será mais um rude golpe que será desferido contra os cidadãos retirando-lhes serviços de proximidade na senda, aliás, daquilo que este governo tem vindo a fazer em diversas áreas da governação, como a justiça, a saúde, as freguesias, ou a educação
E se estas decisões afetam todo o país, elas afetam de uma forma mais intensa os distritos e os concelhos do interior de Portugal que têm sido, nestes dois últimos anos, vítimas das mais diversas e permanentes subtrações de serviços.
E esta situação, no atual contexto, é ainda mais grave. Não pode o governo estar a efetuar um plano de extinções de repartições e de serviços distritais de finanças, a levar a cabo a curtíssimo prazo, como se depreende pelas declarações supracitadas, e esconde-lo das populações que irão ser as principais visadas por esta medida. É que, como se sabe, vivemos num período em que as pessoas irão ser chamadas a pronunciar-se, no dia 29 de setembro, sobre o governo das suas comunidades e impõe-se, a bem da transparência e da lisura de processos, que as populações saibam, antes desse ato eleitoral, qual o exato plano do governo.
Face ao que precede, os deputados do Partido Socialista, eleitos pelo círculo eleitoral de Viseu, vêm através de vossa excelência, senhora Presidente, questionar a ministra das Finanças, para uma resposta anterior ao próximo dia 29 de setembro, nos seguintes termos:
1. Quais os concelhos do distrito de Viseu que irão perder as respetivas repartições de finanças?

2. O serviço distrital de finanças de Viseu irá manter-se ou vai ser extinto?
Rádio VFM: 2013.09.19

Diário Económico: 2013.09.17

Sem comentários:

Enviar um comentário