terça-feira, 9 de julho de 2013

VISEU CRIATIVA foi o tema para o debate da candidatura de José Junqueiro em torno das questões culturais

A candidatura de José Junqueiro promoveu, no Auditório Mirita Casimiro, um debate sobre as propostas inseridas no seu programa de candidatura à autarquia, subordinado ao tema "Viseu Criativa". Manuel Maria Carrilho, presidente da Comissão de Honra foi o convidado, conjuntamente com Ricardo Pais, Paulo Ribeiro e Joaquim Alexandre Rodrigues. A escolha do local foi simbólica e traduz a vontade do futuro executivo em ser parceiro ativo na garantia da sua continuidade.
Em Viseu não fecharão mais espaços de cultura. O debate foi descontraído, com um ambiente solto, onde todos puderam dar os seus contributos sentido proximidade e partilha dos seus pontos de vista. O programa é aberto, as propostas são públicas - e muitas - pelo que aqui nos limitamos a enquadrar o debate. O atual pavilhão multiusos será intervencionado numa estratégia de módulos para que fique pronto e confortável para receber grandes e pequenos eventos, reuniões limitadas e grandes congressos, dotando assim o concelho de mais um fator de competitividade.
Viseu, cidade histórica e Viseu cidade de histórias, foi uma  dominante para significar a importância do seu património, da sua valorização e da ambição de internacionalizar aquilo que temos de único e singular. A Cava de Viriato, a Feira de S. Mateus ou as Cavalhadas de Vildemoinhos são alguns exemplos das nossas "histórias" que urge "contar".
Na mesa, Manuel Maria Carrilho, Ricardo Pais, e Paulo Ribeiro significavam a mudança que nasceu  em Viseu com o Teatro Viriato, lançado pelo Eng. Engrácia Carrilho. Foi pela sua intervenção direta, apoiada pelos governos socialistas, a começar com o de António Guterres e pela mão do então ministro da Cultura, Manuel Maria Carrilho, que tudo começou e que a autarquia tem hoje um equipamento de referência, com vida.
Foi também naquele tempo que se operou a intervenção e e mudança no museu de Grão Vasco,
que se criaram as redes de leitura ou se intervencionou a Sé, desta feita por impulso de João Cravinho. José Junqueiro, deputado e governante em períodos distintos, foi sempre o dinamizador das soluções que hoje conhecemos. Bem podem os seus adversários políticos dizer que nada aconteceu, porque a história não se apaga.

Foi relembrado o anterior debate sobre os "Centros históricos", com os socialistas António Magalhães e José Gomes Fernandes, que, respetivamente, ao longo de muitos anos fizeram de Guimarães e do bairro do Barredo, no Porto, espaços classificados pela UNESCO como património da Humanidade. No fundo esta alusão foi um sinal da ambição da candidatura em levar Viseu mais longe.
(josejunqueiro2013viseu.blogspot.pt)

Sem comentários:

Enviar um comentário