sexta-feira, 12 de abril de 2013

[opinião] Este governo faz mal ao interior!

Por analogia com os maços de tabaco, também, este governo deveria ser obrigado a rotular todas as suas iniciativas políticas com a frase: “este governo faz mal ao interior”. Bem sei que é a todo o país mas, no caso vertente, vou-me cingir só ao interior e às questões da economia.
E podemos até dizer, nesta matéria, que estamos perante um pecado capital cometido por governantes do interior, porquanto a área da economia está entregue a pessoas de Viseu. Significa isto que estes governantes, conhecendo bem a dura realidade que se vive nesta vasta faixa do território, de norte a sul de Portugal, deveriam ter estado à altura das suas responsabilidades e não esquecer que todo o país estaria muito melhor se o interior estivesse bem.
Álvaro Santos Pereira, António Almeida Henriques e Sérgio Monteiro, ministro e secretários de estado, naturais da nossa região, têm-nos brindado, não com incentivos às empresas, não com confiança aos empresários, não com acessibilidades para a circulação de pessoas e bens, mas com o aumento da fiscalidade, com um anormal acréscimo de insolvências, com zero quilómetros de acessibilidades, com um desemprego galopante e com a extinção de serviços e instituições em Viseu e em todo o distrito.
São estas as evidências, são estes os sinais.
E como se tudo isto não bastasse, Pedro Passos Coelho oferece-nos, com dois meses de antecedência, a demissão de um secretário de estado, Almeida Henriques, que, mesmo por equivalência não é demissão, pois continua a governar até dia 15 de maio, numa demonstração de tudo, menos de ética republicana e de transparência política! E com uma agravante: esse governante não vai ser substituído!
Mas afinal o que se passa? Ainda lhe falta cumprir alguma prestação no governo? Ou era desnecessário desde há 22 meses?
Desde quando é que um governante com o tão importante e crucial (lembram-se?) dossier dos fundos comunitários pode deixar de existir?
Os viseenses, os do Douro, do Mondego ou Vouga, mereciam mais respeito e bem mais atenção do que aquela com que têm vindo a ser brindados. Precisamos do centro de oncologia/radioterapia que agora nos querem negar; precisamos de ver priorizadas as acessibilidades rodoviárias e ferroviárias estruturantes; precisamos de uma estratégia agro-florestal; precisamos de projetos culturais; de património requalificado; de termalismo revitalizado; enfim, de economia e emprego.
A consciência de cada um que fale, mas creio que cada vez há mais consciências a gritar que “este governo faz mal ao interior”.
NOTA: Este artigo foi escrito dois dias antes (9 de abril) de mais uma remodelação às prestações deste governo.
Acácio Pinto - 2013.04.09
Notícias de Viseu

Sem comentários:

Enviar um comentário