quarta-feira, 6 de março de 2013

Primeiro-ministro está cada vez mais isolado nas suas políticas de austeridade



António José Seguro (AQUI) defendeu hoje no debate quinzenal na Assembleia da República que o primeiro-ministro está “cada vez mais isolado” por não querer mudar de rumo, criticando a “ausência de medidas” para combater o desemprego e a “teimosia política” de Passos Coelho.
O secretário-geral do PS concluiu, durante o debate quinzenal no Parlamento, que o primeiro-ministro “está de costas voltadas para os portugueses” e “infelizmente irredutível para mudar de caminho”.
“O senhor não quer mudar porque está politicamente teimoso e está enfeudado numa política de austeridade do custe o que custar que nos está a levar para o empobrecimento e para o desastre, mas o senhor está cada vez mais sozinho e mais isolado em Portugal”, acusou.
O líder socialista perguntou ao primeiro-ministro sobre as medidas de combate ao desemprego perante quase “um milhão de desempregados”, questionando o que é que Passos Coelho “está a fazer à frente do Governo se não é capaz de responder aos problemas do país”.
“A população desempregada em Portugal tem vindo a subir de forma consistente. Em 2010 já atingia 600 mil, no segundo trimestre de 2011 eram quase 700 mil. Nós sabemos o que gera o desemprego, é a falta de competitividade e a falta de reformas estruturais”, asseverou.
António José Seguro continuou com ataques ao chefe do Executivo: “O Governo está divorciado com Portugal. No momento em que se pede um sinal ao primeiro-ministro, é triste ver que não tem nenhuma proposta para apresentar”.
“O senhor sobre desemprego nem uma palavra, quanto a desemprego nem uma medida”, acrescentou.

Sem comentários:

Enviar um comentário