quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Ministros terão poder para recusar dirigentes escolhidos por concurso


«O projecto de diploma sobre o recrutamento de dirigentes superiores na função pública, que hoje o Governo discute com os sindicatos, consagra a possibilidade de o ministro rejeitar os três candidatos pré-seleccionados por concurso. Quando isto acontecer passa a ser o ministro a sugerir três candidatos à Comissão de Recrutamento.
Aos poucos começa-se a saber qual o poder que o Governo quer reservar aos ministros na selecção dos dirigentes superiores. O projecto de diploma sobre o futuro processo de recrutamento, que hoje será debatido com os sindicatos, explica que o "membro do Governo" pode não apenas escolher entre três candidatos pré-seleccionados por concurso, como ainda recusar as três opções. Caso isso aconteça e se crie um impasse, a lógica do processo inverte-se: passa a ser o próprio ministro a sugerir os três candidatos à comissão que será criada para assegurar a independência no recrutamento. A esta nova entidade caberá, então, a emissão de um parecer "vinculativo".»
in: Jornal de Negócios

1 comentário:

  1. Será o que se chama "tapar o sol com uma peneira" para, no fim, aceder ao lugar o amigo do ministro ...

    ResponderEliminar