sexta-feira, 8 de julho de 2011

Artigo de Ferreira Fernandes no DN "...agora quase todos vemos a rataria das agências..."

«Passos Coelho reagiu: "Um murro no estômago." Também Cavaco Silva sentiu que não havia "a mínima justificação" para a classificação dada a Portugal. Aleluia, assinale-se que se alargou o leque dos que ficam sem fôlego com as intenções ínvias de uma agência de rating. "Lixo!", é o que a Moody's diz que somos. Anote-se, não porque a Moody's seja séria, mas porque é muito influente. Vamos ter de viver com ela, e as da matilha. A boa notícia é que José Sócrates já se foi embora. Ajuda muito. Até agora ele era aquela árvore que tapava a floresta das Moody's. A culpa era dele, só dele, dizia-se, e boa parte de Portugal andava encandeado com essa culpa. Agora já quase todos conseguimos ver a rataria das agências - é um passo em frente. O perigo seria que o PS, ressabiado pela animosidade anterior dos adversários, quisesse pagar com a mesma moeda. Felizmente, isso, que seria uma estupidez, não parece ser intenção do PS. Podemos ter, agora, uma opinião nacional, que deve ser transformada em vontade comum. Ter uma causa comum contra as agências de rating (como tem sido, em Espanha, desde o Rei, passando pelos dois maiores partidos, até aos jornais de direita e de esquerda) é bom. Não que sirva de grande coisa, de tal modo a teia nos é exterior. Mas é sempre bom quando o óbvio se torna universal e poupamos em falsos combates. Desde esta semana, Portugal está mais adulto.»
(In: DN 2011.07.07)

Sem comentários:

Enviar um comentário