quinta-feira, 24 de março de 2011

(Opinião) Pequenos exemplos, bons exemplos

1. Estive esta semana numa iniciativa da Câmara de Lisboa e da Visabeira, no Museu do Design e da Arte de Lisboa. No centro da agenda estava Rafael Bordallo Pinheiro.
Bom exemplo: a forma como o Governo do PS e o Ministro da Economia salvaram da falência a Fábrica de Cerâmica Bordalo Pinheiro. Mérito para o Governo, para a Visabeira, para a AICEP. Quem ganhou? O emprego, a economia, a cultura, a arte e o país.
Quem fez o elogio? Pessoas insuspeitas como o Presidente da Câmara das Caldas da Rainha e o Presidente da Câmara de Lisboa.
2. O JN promoveu, no dia 21, uma iniciativa em Viseu para debater os “os desafios da floresta portuguesa” e contribuiu com 0,10 Euros, por cada jornal vendido, para a plantação de árvores em áreas ardidas.
Um bom exemplo que juntou à mesma mesa o Governo, uma autarquia, uma associação de proprietrios florestais e um professor catedrático, Jorge Paiva.
Não descobriram a estratégia final para a floresta portuguesa. Mas ficou a boa ideia de que na base deve estar uma boa articulação entre a biodiversidade e a produção de riqueza efectiva para os proprietários florestais.
NOTA: A oposição, nomeadamente o PSD, acabou de abrir, na AR, uma crise de graves consequências para Portugal ao chumbar o PEC. [O rastilho vinha de 9 de Março].

Sem comentários:

Enviar um comentário