domingo, 30 de janeiro de 2011

Comunicado da Federação de Viseu do PS

A Federação de Viseu do PS congratula-se com o anúncio feito pelo Primeiro-Ministro, José Sócrates, ontem, dia 29 de Janeiro, em Braga, da requalificação de mais 90 escolas secundárias a nível nacional a levar a cabo pela Parque Escolar, três das quais no Distrito de Viseu: Escola Básica e Secundária de Moimenta da Beira, Escola Secundária Viriato em Viseu e Escola Secundária Felismina Alcântara em Mangualde.
Fica mais uma vez bem visível a sensibilidade e o sentido de coesão territorial do Governo ao dotar, gradualmente, as nossas escolas com excelentes condições de aprendizagem para os alunos e com óptimas condições de trabalho para todos os profissionais que ali desempenham funções, tornando a escola pública em melhor promotora quer da igualdade de oportunidades quer em dissuasora do abandono escolar.
Convém não esquecer que já antes destas, muitas outras obras aconteceram em todo o Distrito integradas em programas do Governo, seja no âmbito deste programa de requalificação das escolas secundárias seja no âmbito da construção de centros escolares que estão a acontecer em todos os concelhos do Distrito de Viseu e a requalificar, assim, a oferta a nível do 1º ciclo.
Para além disso merece relevo especial o facto das 90 escolas, que agora irão ser requalificadas, representar a criação/manutenção de 13.500 postos de trabalho e um investimento global previsto de 1.300 Milhões de Euros, representando uma excelente oportunidade também para as empresas da região encontrarem boas oportunidades de negócio.
A Federação de Viseu do PS congratula-se, pois, com mais estas boas notícias para a região e para Portugal e desafia os partidos da oposição, nomeadamente o PSD, a assumirem um papel responsável e a, pelo menos uma vez, darem boa nota destas obras e destas políticas e da sua importância e mais-valia para Portugal e para os portugueses, em vez de andarem permanentemente a serem os amplificadores de pessimismos.
(Foto: Correio do Minho)

1 comentário:

  1. Lutar por uma educação digna, onde o saber não se pode compadecer com facilitismos nem com diferenciações sociais, deve ser a matriz de um Governo da República. Porém, não nos deveremos esquecer de uma boa exigência na formação dos professores enquanto estudam e depois no activo. Importante, para fechar este triângulo, colocar sempre bons Ministros da Educação no Ministério respectivo!
    Artur Fontes

    ResponderEliminar