sexta-feira, 10 de setembro de 2010

(Opinião) Recado directo

Cavaco Silva nesta sua recente deslocação ao Distrito de Viseu foi claro, transparente e directo, ao apelar à coesão nacional para ultrapassar os obstáculos, ao referir que nem lhe passa pela cabeça que não seja aprovado o orçamento, ao apelar à união dos portugueses e ao dizer que unidos somos mais fortes.
Ou seja, para quem, como Passos Coelho e o PSD, quer no Pontal, quer agora na Universidade de Verão do seu partido, andam a semear crises, a falar em não aprovar o orçamento e a lançar ultimatos e chantagens ao Governo, aí está a resposta vinda do Presidente: Deixem-se disso, os tempos são de união e de responsabilidade e só unidos poderemos seguir em frente.
O que se espera, agora, é que os destinatários desta missiva a abram, a leiam, a interpretem e se deixem de aventuras. E, afinal, que sejam, tão só, consequentes e coerentes com muitas das suas decisões recentes aquando da aprovação de documentos de estabilidade e de crescimento.
Não havia necessidade de Passos Coelho e o PSD ouvirem do Presidente da República, que até é originário da sua área política, este recado tão directo!

2 comentários:

  1. Perante esta situação crítica de crise profunda, urge que todos nós coloquemos os interesses superiores da Nação acima das diferenças politico-partidárias!!! Só a unidade em torno de uma projecto credível e assumido, poderá recuperar Portugal desta crise que é financeira, económica, política, social, arrastando per si valores e princípios para o patismo-bravo!Por isso mesmo, defendo que se deve republicanizar esta República!
    Artur Fontes

    ResponderEliminar