quarta-feira, 31 de março de 2010

Mangualde: Algumas marcas João Azevedo!


Escassos cinco meses após a tomada de posse dos novos titulares autárquicos e eis que o Presidente da Câmara Municipal de Mangualde, João Azevedo, pode apresentar aos seus munícipes, mas também à região, a resolução de variadíssimos problemas que se arrastavam há demasiado tempo, em prejuízo das pessoas.
Resultaram das mudanças políticas que ocorreram na Câmara Municipal de Mangualde e no concelho? Com certeza que sim! Não restam dúvidas de que os problemas ainda hoje subsistiriam se os eleitores de Azurara não tivessem querido dar-se a si próprios e às suas terras uma nova oportunidade de desenvolvimento e de esperança.
Começa a estar à vista que João Azevedo e a sua equipa trouxeram um novo dinamismo, uma grande capacidade empreendedora e uma gestão rigorosa da coisa pública, de que Mangualde, tenho a certeza, já se orgulha.
Não vou ser exaustivo. Vou, tão só, deter-me em algumas das situações que estavam há demasiado tempo em amargurada indecisão, em indesejada irresolução e que têm, algumas delas, uma enorme repercussão social e política, mesmo para além das fronteiras municipais.
Senão vejamos alguns exemplos: 1. Contratualização, em Dezembro, entre a AICEP e a PSA (Peugeot-Citroen) de 21 milhões de Euros de investimento nas instalações fabris de Mangualde e consequente manutenção de postos de trabalho e de viabilização de um novo modelo de veículo a produzir em Mangualde; Visita de José Junqueiro e de Basílio Horta, em 10 de Março, à PSA onde puderam inteirar-se da solução encontrada para ampliação/consolidação imediata do seu espaço de produção e do estacionamento e segurança para os trabalhadores; 2. Contratualização de uma Equipa de Intervenção Permanente com os Bombeiros Voluntários de Mangualde em parceria com a Autoridade Nacional de Protecção Civil; Aquisição, pelo Município, do antigo Quartel dos Bombeiros Voluntários de Mangualde; 3. Contratualização com a ARS Centro de uma Unidade de Saúde Familiar para Mangualde, a instalar, precisamente, nas instalações do antigo Quartel dos Bombeiros Voluntários de Mangualde, espaço central da cidade e, portanto, próximo das pessoas; isenção de taxas, pela Câmara, para a obra da Unidade de Cuidados Continuados a construir pela Misericórdia de Mangualde; 4. Candidatura aprovada para a construção de um Centro Escolar; mais dois centros escolares em projecto; 5. Revisão do PDM, elaboração de um PU para a cidade e finalização da elaboração do Documento de Enquadramento Estratégico; 6. Projectos de requalificação e modernização das zonas industriais existentes e construção de outras novas áreas empresariais para dar resposta aos inúmeros pedidos já em carteira; 7. Gestão de rigor que permitiu poupar 1.000.000 de Euros em despesas correntes durante os dois últimos meses de 2009.
Ora cá está a importância da política ao serviço das pessoas. Ora cá está como os políticos podem servir os seus concidadãos e a sua terra. Ora cá está como a determinação e o querer conseguem dar a volta às situações e resolver os problemas.
João Azevedo demonstra aqui duas coisas importantes: que a relação de proximidade com os munícipes não é incompatível com a aposta na competitividade do seu território e na qualificação da vida dos seus concidadãos.
(Foto: Mangualde.net)

Sem comentários:

Enviar um comentário