sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Tecnologia & Competitividade

Pese embora todo o pessimismo que a oposição tenta incrustar na sociedade portuguesa e que em nada contribui para o aumento da confiança, tão necessária para o crescimento da economia, o Governo tem vindo a prosseguir o seu trabalho específico no sentido da modernização do país, através da aposta no aprofundamento tecnológico.
Vou dar alguns exemplos concretos para que cada um possa avaliar as opções tomadas pelo Governo e construir os seus juízos de valor relativos a cada caso e que, em minha opinião, aumentam, substancialmente, a competitividade das empresas e dos territórios.
Primeiro: As Redes de Nova Geração (adjudicadas recentemente) que irão dotar o interior, e dentro deste os espaços mais rurais, com redes electrónicas que combaterão a infoexclusão e permitirão comunicações rápidas e de grande tráfego em todo o território, combatendo assim a tão criticada a assimetria litoral-interior. Estas serão também as “auto-estradas” do futuro que podem contribuir, grandemente, para que empresas de forte base tecnológica se possam instalar também no interior. O investimento global é de mais de 150 milhões de euros, criará 20.000 postos de trabalho e abrangerá, também, todos os concelhos mais rurais do Distrito de Viseu.
Segundo: Em 2009 Portugal exportou 1300 milhões de euros em serviços tecnológicos o que significa o triplo do que havia exportado em 2004. Ora isto vem demonstrar que a aposta que, desde 2005, o Governo tem vindo a fazer nas tecnologias em geral se está a revelar de grande importância para a modernização da nossa economia e para o incremento da fixação de empresas de ponta em Portugal que vêm aumentar a nossa capacidade exportadora. Como exemplos, neste âmbito, podemos avançar a vulgarização do uso de pc’s, a criação do centro Nokia Siemens onde trabalham 600 engenheiros e que serve 17 milhões de clientes em 20 países, as unidades tecnológicas ligadas às energias renováveis e diversas empresas de software especializado que está a ser utilizado por grandes empresas em todo o mundo (p.e. NASA).
Terceiro: A interligação dos serviços on-line dos Governos de Portugal e de Espanha que irá acontecer a partir do mês de Março e contribuirá para que os cidadãos espanhóis e portugueses e nomeadamente as empresas possam aumentar a sua competitividade. Como exemplo destacam-se a possibilidade de um cidadão português, utilizando o seu Cartão de Cidadão, poder inscrever on-line trabalhadores seus no Ministério do Trabalho e da Imigração Espanhol e a possibilidade de um cidadão espanhol poder, utilizando o seu Documento Nacional de Identificação, constituir on-line uma empresa através do Portal da Empresa Português. Ora esta interligação vem, também, através da tecnologia, conferir mais competitividade às empresas.
Três exemplos que ficam, que atestam o trabalho e o investimento do Governo no âmbito das Tecnologias e que conferem, em minha opinião, modernidade aos países e competitividade às empresas.

Sem comentários:

Enviar um comentário