quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Menos mortes nas estradas em 2009


O drama tem vindo a ser combatido com eficácia. E mais uma vez, o número de mortos e de feridos graves nas estradas portuguesas, em 2009, foi inferior ao do ano anterior.
É com certeza mérito do Governo, a quem cabe definir e aprovar as políticas, o que tem vindo a fazer de uma forma determinada. Mas há também que enfatizar o empenhamento dos diversos agentes envolvidos. Desde logo as forças de segurança, mas também as entidades gestoras das vias de comunicação, as associações cívicas, os governos civis, as câmaras municipais e as escolas (para não ser exaustivo).
E o resultado desta interacção está à vista de todos. Se na década de oitenta (há vinte anos) morriam nas estradas portuguesas mais de 2500 pessoas, no ano que agora findou morreram 738 pessoas.

Esta foi, pois, uma luta ganha por todos. Por todos aqueles, e foram tantos, que se envolveram, com o Governo, para travar este drama e conseguir ter resultados de que Portugal se pode orgulhar no contexto europeu.
Também em Viseu tal se tem vindo a verificar. Ainda há dez anos morriam mais de 100 pessoas. Em 2009 morreram 30.

Sem comentários:

Enviar um comentário